Psicologia Quântica

Neste post falarei de algo, diferente, que é a psicologia quântica. A definição de psicologia quântica é a abordagem da nossa psicologia usando paralelos de física quântica. É na verdade uma visão, uma diferente forma de abordar, analisar e considerar nossos comportamentos, funções mentais e afins.

O que essa abordagem funciona? Primeiro ela trata do modo como observamos o mundo e escolhemos as possibilidades, assim como a física quântica (assunto para outro post), todas as nossas possibilidades estão acontecendo ao mesmo tempo, sendo que apenas uma é concebida como real como resultado de ações e decisões.

Então precisamos ter cuidado com nossas emoções, pois com isso acabamos repetindo coisas indesejáveis, por mais que tenhamos todas essas possibilidades disponíveis, lembrando que alguns fatores externos podem em alguns casos nos atrapalhar ou ajudar ainda mais no peso das emoções. Por exemplo, uma pessoa ser limitada por seu poder econômico, preconceitos esses que partem tanto da pessoa quanto a atingindo, lugar que vive e por aí vai. (precisa reescrever essa parte)

Mas temos exemplos de pessoas que por mais que se tenha diversos fatores antagônicos, elas acabam se destacando, vencendo os problemas, dificuldades e alcançando o que querem. São esses indivíduos que conseguem se libertar das emoções ruins e incompatíveis, trazendo para si as que lhe ajudam e com isso enxergando as possibilidades que levam ao objetivo, tudo isso com uma boa dose de foco também.

Obviamente não é algo 100% infalível, tendo a dizer inclusive, que por experiência própria, cheguei à conclusão de que não é. Outras pessoas podem dizer que não existe nada disso, que não temos controle de quase nada, como também existem outras dizendo que o que buscaram na vida, conquistaram sem margem de erro. Essas variações acabam puxando os conceitos da PNL (programação neurolinguística), inteligência emocional, fatores psicológicos ou emocionais, cultura, círculo social e tantas outras questões, são fatores que contribuem ou não para a forma como a pessoa enxerga, percebe e interage com tudo a sua volta.

Quer um exemplo? Uma pessoa se considera inapta a realizar alguma tarefa ou outra ação qualquer e algum conhecido desta pessoa fala para ela: “Vamos, você consegue, isso é fácil, não é nada…”. Será que ela deve rever seus conceitos, reavaliar suas ideais em torno disso? Perceber que poderia se tornar uma vendedora de sucesso por exemplo? Ou então que estava certa de não leva jeito para a coisa ou quem sabe simplesmente, lá no fundo ela não gostaria de ser uma vendedora.

Na psicologia quântica, assim como outras frentes da psicologia, o fato da pessoa não se considerar apta, pode ser algo do seu passado que a bloqueia. Para isso, ela deve se entender, descobrir o que fica a sua sombra e praticar a ressignificação, que nada mais é do que atribuir um novo e bom significado, tentando enxergar e sentir de outra forma aquele fato que a assombra, abrindo sua mente de uma forma bem mais positiva. Não querendo dizer que um fato verdadeiramente ruim, deva ser visto como bom, na verdade nestes casos, o evento pode ter viabilizado que a pessoa tenha percepções e ações diferentes na sua vida. Podendo deste modo tomar melhores decisões, de forma mais centrada.

Outro tema a ser explorado são os ditos saltos quânticos, que é o paralelo ao elétron saltando de uma camada para outra do átomo. Como ele faz isso? Adquirindo ou se livrando de uma carga, claro que na realidade é muito mais complexo do que isso, mas a parte mais básica já nos ajuda. O dito salto quântico ocorre conosco quando perdemos ou ganhamos algo necessário para a nova realidade, seja uma habilidade, uma ação ou informação que adquirimos por exemplo.

Aliás fazemos isso a todo instante, uma simples ação de não sair de casa, num sábado à tarde para comprar pão ou por querer ver mais um capítulo daquele seriado, pode acarretar nos acontecimentos que poderia viabilizar de conhecer alguém que seria uma grande amizade, um contato para um novo e bom emprego ou alguém que você terá uma relação de amor futuramente. Sendo “um pouco” negativo, sair e torcer o pé ao pisar em falso numa parte tortuosa da calçada no percurso, que por sua vez poderia render uns dias em casa de férias forçadas e acabar te ajudar a perceber que você odeia seu emprego e deve mudar o quanto antes, ou mesmo o simples fato de estudarmos, nos traz o pré-requisito indispensável para darmos o salto e passarmos na prova. Estas relações de causa e efeito também são abordadas pela psicologia quântica tal como a física quântica e seus elétrons.

Pensando somente nesses fatores, será que realmente conseguimos nos adequar sempre que queremos? É fácil nos desprender ou desapegar a vícios, conceitos e demais fatores? Como seres humanos somos únicos e o modo como enxergamos o universo também. Creio que basta pensar somente em tentarmos fazer nosso melhor, sempre.

Um pouco mais sobre:

Canal do meu amigo filosofo quântico: Frederico Thompson

Mais detalhes sobre psicologia: Wikipédia

Sobre salto quântico: Wikipédia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s